Capítulo 3

"Que bela ceia, depois do frenesim inicial, as conversas vadias, as fofocas da família, o compadre e a comadre, a desgraça do padeiro, a úlcera da beata da esquina, o reumático da leiteira. Falam da galinha da vizinha, do padre e do falatório, são mais as vozes que as nozes, há mais vinho sobre a mesa, falam da guerra e do Iraque, de filho da puta e louco todos temos um pouco, falam dos políticos portugueses, zangas de namorados são amores renovados, falam da justiça, da saúde e da educação, casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão, falam de tudo um pouco, chegam-lhes a roupa ao pêlo."
 
<< voltar